Algo que as pessoas me perguntam muito é: como faço para guardar dinheiro?

Tecnicamente a primeira resposta seria: gaste menos do que ganha.

Mas como economista, especialista em psicologia econômica e coach não consigo simplesmente mostrar uma ferramenta para controle orçamentário e ensinar sobre os tipos de investimento.

Sabe porque? Porque somos humanos! Seres que, embora racionais, em muitos momentos agimos por impulso e é exatamente neste momento que deixamos todas as ferramentas, conhecimentos, conselhos de lado e literalmente destruímos as nossas finanças.

Tentamos, persistimos, fazemos promessas de ano novo e simplesmente não conseguimos e olha que, atualmente, neste mundo conectado, há formas incríveis para se controlar o orçamento doméstico que passam longe das temidas planilha de Excel, algumas até te “liberam” de olhar cada meio de pagamento ou movimentação financeira (cartão de crédito, conta bancária, etc).

Então o que fazer?

1° Tenha claro a razão para a qual você irá economizar: realizar um sonho, estabilidade em momentos de crise, aposentadoria, manutenção dos gastos quando ocorrerem imprevistos, etc

2° Estabeleça o prazo para atingi-lo

3° Seja qual for o objetivo, ou quais forem, tenha em mente o valor necessário

4° Desenhe os passos para atingir seu objetivo (um a um), lembrando-se de estabelecer os prazos e recursos necessários (conhecimentos, financeiros, apoios, etc) para cada passo dado

5° Conheça os seus sabotadores (o que te leva a gastar sem precisar?) e crie formas de controlá-los nos momentos em que surgirem

6° Conheça os seus motivadores (quais forças você tem que se faz seguir em frente?) e desenhe estratégias para utilizá-las visando obter os maiores retornos possíveis para o seu objetivo

7° Mesmo que “escorregue” em alguns momentos não desista! Mantenha o foco no objetivo

8° Monitore os resultados periodicamente

9° Comemore as pequenas conquistas.

E por fim

10° Dê um passo por vez, todos os dias, seja com auxílio de super ferramentas e controles existentes, seja através do método que você mesmo criou, mas que seja algo que funcione para você (que pode ser o “papel de pão”).

E após tudo isto volte ao início e faça disto um ciclo.

O futuro é o resultado dos passos dados no presente, por isto, não desista porque é possível poupar independente da idade ou classe social.

E lembre-se: o que importa não é o quanto se tem, mas o quanto se gasta.

Então, vamos começar agora plantando a semente para poder colher os frutos? Quanto mais demorar mais tempo sua árvore demorará para florescer. Imagino que não seja isto que você queira, não é mesmo?